5 técnicas de memorização para concurseiros

Conheça 5 técnicas de memorização eficazes para fixar o conteúdo e se destacar nos concursos públicos.

Se a dificuldade para reter e lembrar de informações importantes vem atrapalhando sua rotina de estudos para um concurso público, este artigo é para você! Listamos aqui algumas técnicas de memorização comprovadas que podem ajudar a superar esses obstáculos e maximizar seu desempenho. 

Além delas, você também verá:

  • como funciona a memória no cérebro;
  • hábitos que contribuem para uma boa memória.

Como funciona a memória no cérebro?

A memória é um processo complexo que envolve diversas áreas do cérebro, como o hipocampo, responsável pela formação de novas memórias, e o córtex cerebral, que armazena a maioria delas. Basicamente, o processo de memorização pode ser resumido em quatro etapas:

  • codificação, em que as informações que você adquire enquanto estuda, lê, ouve, vê ou vivencia experiências são processadas pelo cérebro e transformadas em sinais neurais;
  • consolidação, quando os circuitos neurais são fortalecidos e a memória é estabilizada — um processo que pode levar algum tempo e ocorre durante o sono;
  • armazenamento, em que as informações são armazenadas em diferentes regiões do cérebro a depender de seu tipo e do contexto em que foi aprendida;
  • recuperação, quando o cérebro reativa os circuitos neurais associados à memória e a traz de volta à consciência — algo que pode ficar mais fácil por meio de associações, dicas ou gatilhos.

As técnicas de memorização exploram justamente essas etapas, incentivando a organização das informações e sua recuperação ativa.

5 técnicas de memorização para estudar

A combinação entre várias técnicas de memorização pode melhorar significativamente sua capacidade de reter informações e obter um desempenho melhor nas provas dos concursos públicos. Por isso, listamos cinco práticas que você pode adaptar ao seu estilo de aprendizado e às matérias que precisa aprender:

1. Mapas mentais

Os mapas mentais são diagramas que organizam informações hierarquicamente por meio de palavras-chave, cores e imagens que representam os conceitos e as conexões entre eles. 

Imagine um estudante que está se preparando para uma prova de História sobre a Idade Média. Para montar o mapa mental, ele deve colocar o termo “Idade Média” no centro do mapa e descrever eventos, personagens e aspectos culturais desse período em ramos conectados.

Essa técnica é útil porque o cérebro compreende e recorda melhor quando as informações são organizadas de forma lógica e interconectada. Baixe nosso material gratuito para aprender a produzir um mapa mental e melhorar sua produtividade.

2. Repetição espaçada

Essa técnica consiste em revisar o conteúdo em intervalos de tempo cada vez mais longos para explorar a curva do esquecimento. Essas revisões em momentos estratégicos ajudam a consolidar o conhecimento na memória de longo prazo, evitando que a informação seja esquecida rapidamente após o estudo inicial. 

Se você estiver estudando matemática para um concurso, por exemplo, ela será bastante útil para memorizar fórmulas e conceitos. Os tópicos podem ser revisados no dia seguinte, depois em três dias, depois em uma semana e assim por diante, aumentando gradualmente o intervalo entre as revisões.

3. Fazer resumos

Montar bons resumos envolve o processo ativo de reorganizar e sintetizar informações extensas ou complexas em uma forma mais concisa. Com eles, você consegue identificar os principais pontos e conceitos-chave e reescrevê-los com suas próprias palavras, fortalecendo a conexão entre as informações no seu cérebro.

Para resumir um conteúdo, é importante eliminar detalhes irrelevantes ou menos importantes, focando apenas nas ideias essenciais. Se elas forem organizadas de forma lógica e estruturada, esse conhecimento se tornará mais coerente, facilitando a compreensão e a recordação.

Além disso, você ainda terá o bônus de descobrir áreas em que seu conhecimento é menos sólido. Assim, você pode aprofundar o estudo para preencher lacunas. 

A combinação dos resumos com outras estratégias de estudo, como a resolução de questões, cria uma abordagem completa e eficaz para melhorar a memorização e a preparação para concursos públicos.

4. Escrever à mão

Escrever à mão tende a ser mais eficiente para a memorização do que digitar, pois exige mais concentração e explora o processo motor e sensorial do cérebro. Além disso, essa técnica permite que você reveja o conteúdo enquanto o escreve, reforçando a aprendizagem.

Ao criar resumos ou fichamentos escritos à mão, é possível personalizá-los com esquemas, desenhos e realces, facilitando a conexão com o conteúdo.

5. Ensinar o que você aprendeu

Explicar o conteúdo estudado a outra pessoa — ou até para si mesmo — em voz alta é um estímulo para que o cérebro organize e articule o conhecimento de forma clara. Trata-se de uma atividade que reforça a compreensão do conteúdo e ativa diferentes áreas do cérebro envolvidas na memória e no raciocínio.

Se você estiver, por exemplo, se preparando para uma prova de Direito Constitucional, pode praticar explicando os principais conceitos da Constituição para um colega de estudo ou gravando. Além de ser uma das melhores técnicas de memorização, essa também é uma ótima maneira de fortalecer sua motivação para estudar.

Como melhorar a capacidade de memorização?

Por se tratar de um processo dinâmico, a memorização pode ser afetada por emoções, motivação, repetição e até mesmo pelo envelhecimento do cérebro. Por isso, é importante adotar alguns hábitos que ajudam a melhorar sua memória:

  • praticar exercícios físicos regularmente;
  • ter uma dieta balanceada e rica em nutrientes para o cérebro, como ômega-3, antioxidantes e vitaminas B;
  • garantir um sono de qualidade para consolidar as memórias;
  • aprender estratégias para lidar com a ansiedade;
  • manter a mente ativa e desafiada com jogos mentais, quebra-cabeças e aprendizado contínuo;
  • evitar multitarefas e se concentrar em uma atividade de cada vez;
  • estabelecer rotinas de estudo regulares e espaçadas no tempo.

Ao associar esses hábitos com as técnicas de memorização, você perceberá resultados surpreendentes. Mas seus estudos podem ficar ainda mais eficientes com os cursos EAD do Ceisc, que oferecem orientação adequada, materiais selecionados por profissionais qualificados e aplicação integrada por meio de:

  • apostilas; 
  • livros;
  • videoaulas; 
  • resumos;
  • exercícios.  

Conheça os cursos preparatórios para concursos do Ceisc e garanta uma experiência completa para obter o melhor desempenho.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Tags

Posts relacionados

Pular para o conteúdo