Prova discursiva para o DEPEN: Dicas para a preparação e exemplo de redação

Compartilhe

O concurso DEPEN 2020, além de questionar sobre temas gerais e específicos para os cargos de Especialista Federal em Assistência à Execução Penal e de Agente Federal de Execução, vai cobrar redação na prova discursiva. A prova discursiva da banca CEBRASPE, assim como de qualquer outra banca, normalmente é motivo de apreensão pelo candidato. Mas essa apreensão vai diminuindo à medida que se conhece o estilo da prova e se dominam as técnicas de redação. Pensando nisso, elaborei três dicas para a sua preparação e, também, um exemplo de redação para uma prova discursiva do último concurso DEPEN, o de 2015, no qual a banca CESPE/CEBRASPE foi a executora do certame.

Veja três dicas:

1) Conheça o estilo de questão discursiva da banca CEBRASPE quanto a:

Tipo de texto solicitado;

Comando de questão;

Temas cobrados.

Dicas:

O que é comum/recorrente na prova da banca CEBRASPE:

Cobrança texto dissertativo;

Comando de questão é direto com indicação de itens para escrita;

Temas próximos ao universo do cargo da prova.

Exemplo: se o cargo é da área de segurança pública, temas voltados ao papel do policial ou do Estado em relação á segurança pública; ao sistema prisional (educação prisional, perfil do apenado, conduções prisionais etc); políticas públicas nas quais o órgão do concurso vai atuar (política para migração, teletrabalho, investigação, combate a crimes etc).

 

2) Estude o tipo textual solicitado

Dicas:

Texto dissertativo: o que é?

É o tipo de texto que analisa e interpreta dados sobre um tema de modo a desdobrá-lo em ideias secundárias que tornem aprofundada a abordagem do tema.

Texto dissertativo: como escrever?

Escreva o texto em atenção à estrutura do tipo textual. Produza o texto, apresentando a seguinte sequência:

►      Introdução: apresentação do tema apresentado na questão

►      Desenvolvimento: resposta a cada um dos itens indicados para escrita

►      Conclusão: fechamento do texto

Não esqueça de:

a)    Produzir um texto de acordo com o tema (fuga do tema gera nota zero);

b)    Explorar elementos coesivos e escrever de forma coerente;

c)    Revisar questões linguísticas para evitar erros gramaticais.

 

3) Treine a redação de diversos temas

A redação bem qualificada é resultado de treinos de escrita gradativos e contínuos. Não é possível esperar que apenas uma redação escrita no dia da prova será a sua melhor redação. É fundamental experienciar a escrita, observando elementos de seu texto que podem ser qualificados.

O treino se faz com base em temas de redação. O edital indica se o tema é específico de alguma área do concurso ou geral, como o de “Atualidades”. Então, é hora de pensar em assuntos-chaves para a escruta.

Dicas:

Observe bons exemplos de redação

Sempre que uma redação lhe for apresentada, procure identificar os traços dela que a tornam um bom texto e usar estratégias semelhantes na sua escrita.

Procure ajuda para qualificação de seu texto

Escrever texto e ter o olhar de um avaliador é um bom caminho par ao progresso da escrita, o que pode ser conseguido se você fizer um curso preparatório ou ter aulas específicas de redação. Professores de língua portuguesa e redação podem ajudar com correção e dicas para melhorar a escrita.

Liste temas possíveis para redação do concurso

Professores de redação e cursos preparatórios costumam indicar lista de temas para cada concurso. Procure esse tipo de informação, busque dados sobre cada tema e treine a escrita.

 

Dadas as dicas, é hora de ver um exemplo de redação, que pode mostrar a estruturação adequada de textos. Para isso, leia primeiro a questão discursiva para o cargo de Agente Penitenciário no concurso DEPEN 2015 e depois a redação produzida.

PROVA DISCURSIVA

Convocada pela Defensoria Pública do Rio, a comunidade do Complexo do Alemão começou a chegar duas horas antes do combinado. Enfileiraram-se em busca, principalmente, de carteiras de identidade e de trabalho, ícones da entrada na sociedade formal. Houve duas dúzias de coleta de material genético para exames de comprovação de paternidade. Foram entrevistadas 180 moradoras sobre saúde, maternidade e violência doméstica. Uma cidadã transexual foi atrás de orientação para trocar de nome. Mães pediram tratamento psicológico para filhos com sintomas de síndrome do pânico. Segundo a presidenta da Associação de Defensores Públicos do Estado do Rio de Janeiro, “quando conversamos, percebemos que a violência permeia o discurso. Mas os moradores têm outras demandas. Denunciam a falta de alguma instituição que os defenda da vulnerabilidade”. A agenda dos moradores do Alemão envolve cinco ações: moradia, saneamento, educação técnico-profissional, políticas para jovens e espaços de lazer, esporte e cultura.

Flávia Oliveira. Demanda cidadã. In: O Globo, 27/5/2015, p. 28 (com adaptações).

Considerando que o fragmento de texto acima tem caráter unicamente motivador, redija um texto dissertativo acerca do seguinte tema.

SEGURANÇA PÚBLICA: POLÍCIA E POLÍTICAS PÚBLICAS

 Ao elaborar seu texto, faça o que se pede a seguir:

  • Disserte a respeito da segurança como condição para o exercício da cidadania. [valor: 25,50 pontos]
  • Dê exemplos de ação do Estado na luta pela segurança pública. [valor: 25,50 pontos]
  • Discorra acerca da ausência do poder público e a presença do crime organizado. [valor: 25,00 pontos]

 

Exemplo de redação DEPEN 2015 – Agente penitenciário

INTRODUÇÃO

No Brasil contemporâneo, há uma relação estreita entre violência, vulnerabilidade de parcela significativa da população e segurança. Esta pode ser oportunizada pelo Estado por meio de segurança pública, nas quais se incluem a adoção de políticas públicas e a atuação da polícia.

DESENVOLVIMENTO 1

Nesse sentido, a segurança é um direito de todo cidadão previsto na própria Constituição Federal, ao tratar dos direitos individuais e coletivos.  Tal segurança envolve várias práticas, entre as quais o sentir-se seguro para transitar em diferentes espaços, para manifestar sua expressão ou até mesmo reivindicar o que se julga adequado para uma vida digna (moraria, identidade social, ambiente sem violência, etc). No entanto, caso essa segurança não seja assegurada pelo Estado, o sujeito tem sua cidadania limitada, o que, certamente, compromete não só a sua dignidade, mas também suas condições efetivas para acessar direitos e exercer deveres. Essa situação aponta uma cidadania de papel, para usar a expressão do sociólogo Segatto, pois há muitos direitos previstos em lei e não vivenciados na prática social. Logo, faz-se necessária a atuação do Estado para garantir a segurança de todos.

DESENVOLVIMENTO 2

Sob esse viés, vários exemplos de ações podem ser praticados pelo Estado. Uma delas pode ser a disponibilização de policiamento ostensivo e bem preparado para atender a situações de violência e criminalidade especialmente em locais de grande vulnerabilidade social. Outra caracteriza-se pela participação da população em política de segurança pública, o que pode ser conseguido por meio do policiamento comunitário, que envolve policiais e comunidade no tratamento de problemas da própria comunidade, como drogas, desordens, conflitos, com o objetivo de melhorar a vida no espaço social. Por fim, o Estado pode ainda instituir centros de atendimento jurídico e social à população, disponibilizando profissionais do Direito, da Saúde e da Assistência Social para atender às demandas da população, diminuindo seus problemas.

DESENVOLVIMENTO 3

Quanto à segurança pública, indispensável à cidadania de todos, é notório que, se o Estado se mostrar ausente na propagação e instituição de políticas públicas que consideram as necessidades da população e que fortalecem o trabalho da polícia, haverá maior espaço para o crime organizado. Este se prolifera em espaços onde o Estado não está presente, e a consequência disso é nefasta para a vida da comunidade. Isso porque, de um lado, o crime organizado produz violência, medo, opressão e, sobretudo, sensação de desamparo social, assim como provoca a desestabilidade do Estado, pois desafia autoridades inclusive a desmantelar práticas criminosas em ambiente nos quais isso seria impensável, como em presídios. Por outro lado, o crime organizado acaba por desempenhar o papel doo Estado, muitas vezes “regulando” a vida nas comunidades e implantando um sistema paralelo de “soluções de conflitos” que põem em xeque inclusive direitos fundamentais, como os de defesa e justiça.

CONCLUSÃO

Assim, fica claro que o Estado e suas políticas de segurança pública possuem papel crucial no combate a violências e crimes e, também, no atendimento a demandas sociais da população, sobretudo as que vivem em contextos de vulnerabilidade.

Abraços, professora Luana Porto

Por Equipe de Conteúdos CEISC

    Leave Your Comment Here

    Close Bitnami banner
    Bitnami