Permita-se ser vulnerável!

Compartilhe

Devemos nos preocupar com o nosso lado psicológico também, principalmente neste momento de pandemia. Por isso, lançamos a nossa série de posts sobre saúde mental, com as dicas super importantes da nossa psicóloga Caroline Maria Nunes. Se você estiver interessado neste conteúdo, leia este post até o final e confira as dicas de práticas de cuidado com a saúde psicológica.

Diante das construções sociais, fomos sendo ensinados a não demonstrar os nossos sentimentos e emoções, visto que, isso conotaria fraqueza. Do âmbito da Psicologia, entendemos o quanto é importante reconhecermos a nossa fragilidade, sendo uma forma de respeito, empatia, compreensão e amor a si mesmo.

Vivemos em uma sociedade que exige o tempo todo que sejamos fortes, produtivos, eficientes, felizes e bem-sucedidos, demonstrando ao mundo o que ele espera de nós. Tamanho esforço em busca da validação e do reconhecimento do outro, visto que, por medo de não ser aceito, dificilmente conseguimos admitir a nossa vulnerabilidade.

Estamos vivendo em um momento pandêmico, que expôs todas as nossas fragilidades (físicas, psíquicas, econômicas) tornando-se ainda mais difícil de lidar com os acontecimentos imprevisíveis, inesperados e incertos. Assim, não julgue como certo ou errado os sentimentos que vieram à tona neste momento, tais como tristeza, insegurança, medo, irritabilidade e ansiedade. Ao invés de temer, saiba acolher e dar lugar a essas emoções, para que consiga posteriormente enfrentá-las.

Lembre-se que por trás de cada conquista, existe um longo e árduo percurso. Enquanto a prova não acontece, ocupe-se de si olhando para dentro, (re)construindo as suas forças, contando com a sua rede de apoio e o curso CEISC para continuar caminhando em busca dos seus objetivos, bem como, cuidando da sua saúde mental e física.

Por isso, aprenda de uma vez por todas que ao aceitarmos a nossa vulnerabilidade, conseguimos legitimar a humanidade que habita dentro de nós e que vivemos negando, reprimindo e escondendo. Está tudo bem, não estar tudo sempre bem. Entenda que ser vulnerável é:

  • Acolher e aceitar as suas emoções;
  • Poder falar sobre os seus fracassos e não somente sobre as suas conquistas;
  • Aceitar que somos seres imperfeitos e é isso que nos torna únicos.


Ao ter coragem para demonstrar a nossa vulnerabilidade, criamos a possibilidade de estabelecermos com o outro, laços mais verdadeiros e profundos, onde possamos mostrar quem realmente somos.

Um abraço com afeto da psicóloga Caroline.

Conheça o CEISC

Se você ainda não conhece o CEISC, acesse o nosso site e conheça os preparatórios para a 1ª e 2ª Fases do Exame da OAB, ENEM e vestibulares, Concursos Públicos, Prática Jurídica e Pós-graduação em Direito. 

 

Por Equipe de Conteúdos CEISC

    Leave Your Comment Here

    Close Bitnami banner
    Bitnami