1ª Fase, 2ª Fase, ENEM, Saúde mental

Entre prazer e sofrimento: reflexões sobre a saúde mental do estudante!

06/10/2020 Por Equipe de Conteúdos CEISC

Compartilhe

Psicóloga Caroline Maria Nunes

Em alusão ao dia 10 de outubro que é o Dia Mundial da Saúde Mental, escrevo esse conteúdo, discutindo especificamente sobre a saúde mental dos estudantes, marcada por grandes desafios acarretados pelo contexto da pandemia. Entendo o quanto tem sido difícil dedicar-se aos estudos com a mesma intensidade, visto que, a pandemia tirou tudo do lugar, literalmente. Necessitou uma modificação na forma de estudar, o ensino se tornou remoto e com isso, os espaços presentes de compartilhamentos de saberes ficou restringido as telas de celulares e computadores. No entanto, devemos nos lembrar que nem todos tem o mesmo acesso e privilégios de continuar estudando dentro das devidas condições ergonômicas e sociais necessárias que possibilitem um aprendizado de qualidade.

E quais são os efeitos disso na saúde mental dos estudantes? Que vivências estudantis estão sendo produzidas durante esse período de pandemia?

Eu sei que estudar de maneira remota, e principalmente frente a tantos adiamentos de avaliações decisivas em suas vidas tem sido frustrante. Quem já passou pela escola e pela graduação, já experimentou em si os impactos causados pela sobrecarga de tarefas. Muitos estudantes que estão aqui lendo esse conteúdo, precisam lidar com outros tipos de pressão, tais como a de trabalhar, cuidar da família, ser o sustento da casa, cuidar dos filhos.

E como conciliar todas essas demandas?

Diante dessa sobrecarga, existe uma tendência a surgir um esgotamento psíquico, denominada como Síndrome de Burnout. As exigências acadêmicas, marcadas por um ritmo social cada vez mais acelerado e exacerbado, tem resultado em uma exaustão emocional entre estudantes, caracterizando-se como um sentimento de tensão contínua que produz esgotamento, falta de energia e baixo desempenho. A cobrança por “ser produtivo” tem levado muitos estudantes ao consumo equivocado e indiscriminado de estimulantes cerebrais, o que irá repercutir em sérios prejuízos a saúde mental deste estudante que não se permite ao descanso, visto que, o sentimento de pendência permeia a vida estudantil.

E quais são as consequências disso na saúde mental do estudante? Geralmente, uma relação conflitante com a vida acadêmica tende a levar o estudante a desenvolver crises de ansiedade, o aumento do estresse, a depressão e transtornos de aprendizagem.

Por isso, convido você estudante, a refletir sobre como está a sua saúde mental neste momento de pandemia e o que você tem feito para cuidar dela. Gostaria de lembrar você que estudar não deve ser padecedor porque ninguém deve “morrer estudando”. Estudar ainda que cause algumas privações ao ter que abrir mão por vezes de momentos de lazer, reuniões de família e encontros com os amigos, trará uma grande recompensa que é a possibilidade de ampliar o próprio conhecimento, já que estudar é abrir portas e ampliar horizontes.

Estou aqui para lembrar a você, querido(a) estudante, que esse período é temporário. Já chegamos até aqui e não vai ser agora que iremos desistir. Assim, tente-se se tranquilizar. O equilíbrio é fundamental para que você consiga perceber que além de estudar, você merece ter momentos de autocuidado, com a sua saúde mental e física. Lembre-se que ser produtivo não é ficar horas e horas estudante e/ou trabalhando. Ser produtivo é também se permitir a descansar, aproveitar o tempo ócio, ler um livro (que não sejam somente os que você estuda para alguma prova), assistir uma série ou filme, realizar alguma atividade manual ou física, ter momentos de lazer, organizar os seus pensamentos, fazer psicoterapia.

Eu sei que os seus estudos são importantes e decisivos para a sua trajetória profissional, mas pegue mais leve com você, pois você não é uma máquina. Mesmo que você pense que não, você já está dando o seu melhor e o que você consegue nesse momento, diante da atual situação. E não, você não está decepcionando seus pais, seus professores, seus familiares e amigos. A vida não é linear e nem cronológica. Você não precisa atingir as expectativas externas de ter uma vida perfeita (que não existe).

Respeite os seus limites, se permita a sentir as suas emoções e não descuide de você!

Com amor, da psicóloga Caroline 💙

    Leave Your Comment Here

    Close Bitnami banner
    Bitnami