Você sente medo de errar?

Supere o medo de errar e atinja seu potencial máximo. Descubra como no Blog Ceisc.
Psicóloga Caroline Maria Nunes

Por:

Caroline Maria Nunes

É impossível acertar o tempo todo e ser constituído apenas por comportamentos que admira em si e sentimentos satisfatórios – isso seria inumano. Principalmente durante o processo preparatório para a prova, que se autorizar a errar e se frustrar também é parte do crescimento e aprendizado. Trago a seguinte frase para pensarmos:

“É errando que se aprende”.

Essa expressão popularmente conhecida, é uma reflexão necessária de se fazer, principalmente diante da sociedade em que estamos vivendo, em que a cobrança por um caminho sem obstáculos, desafios e frustrações, encontram-se cada vez mais presentes.

O medo de errar, geralmente tende a ser causado pela insegurança, esta que acaba sendo causada pela falta de autoconhecimento. Se a sua meta é ser aprovado(a) na OAB ou em um concurso público, apenas poderá conseguir se você se permitir a apostar. Caso o resultado não seja aquele que esperou, ao invés de desistir, reflita a respeito dos comportamentos que você pode reaver e mudar para eu seja diferente na próxima vez.

Experienciar o erro como uma oportunidade de aprendizado, pode fazer com que você enxergue além e tente novamente, muito mais fortalecido e conhecedor do que te fez errar durante esse percurso.

Lembre-se que, todo ser humano é composto por:

Potencialidades e vulnerabilidades.

Alegrias e tristezas.

Forças e fragilidades.

Qualidades e defeitos.

Erros e acertos;

Antagonismos que andam juntos. E que bom. Isso nos convida a viver com autenticidade. Já parou para pensar que aquilo que você crítica e condena em si mesmo pode ser parte da sua subjetividade e da vivência do seu próprio tempo?

Você pode e deve reconhecer os seus erros e pensar sobre o que deseja reaver/mudar/melhorar em si, mas é necessário acolher o tempo do seu processo. Se conhecer não tem a ver com se tornar um ser humano isento de errar, frustrar, decepcionar. Pelo contrário, se conhecer significa aceitar e abraçar quem se é dentro da imperfeição.

Ninguém nasce sabendo tudo. Se conhecer passa por se questionar, se escutar e desconstruir aquilo que um dia já foi conhecido. Uma criança antes de aprender a caminhar sozinha, passa pela etapa do engatinhar, tropeçar, cair até que se levante e consiga se sentir segura para andar sozinha. Assim como corpo físico vai se desenvolvendo durante a infância ao cair e levantar, emocionalmente também precisar lidar com os desafios que encontramos diante do novo, pois só somente através disso, que a evolução poderá acontecer. Não precisamos tornamo-nos adultos tão temerosos com o erro!

Tomar consciência da potência que você tem é o fio condutor deste processo.

Com carinho, psicóloga Caroline Maria Nunes, CRP 07/28381

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Colunas Relacionadas

Posts relacionados

Pular para o conteúdo