Você já deixou de seguir a sua escolha pelo medo de se frustrar?

Por:

Caroline Maria Nunes

Vivemos em mundo em que se busca por certezas e garantias, aquilo que muitas vezes já vem pronto, que alguém diga o que tem que ser feito, porque construir o próprio caminho de acordo com o que é seu e subjetivo requer tempo, paciência e a capacidade em questionar-se. E embora acessar territórios emocionais que ainda não foram vistos seja desafiador e convide a assumir uma auto responsabilização, qual é o preço que se paga ao não apostar nas suas escolhas pelo medo de se frustrar?

Pelo medo de frustrar-se durante o percurso, este muitas vezes acaba sendo atalhado. Etapas importantes da evolução interna, tendem a ser puladas, buscando-se que a insatisfação seja rapidamente cessada e atendida, porque se questionar-se sobre escolhas mobiliza e traz dúvidas. Mas será que diante de uma escolha muito importante em sua vida, é possível encurtar caminhos? E quantas vezes você já desistiu da sua escolha por pensar que o caminho fosse mais difícil?

O que não percebemos é que o desejo de tentar as vezes acaba ficando no campo da fantasia, entre dubiedades e ambivalências, no qual, se vê impedido de ser realizado pelo medo de desapontar, fracassar e errar.   

Outro fator importante de ser mencionado, é que a dificuldade em escolher pode estar ligada ao sentimento de auto sabotagem, que surge diante da incerteza, mas também ao duvidar de que você será capaz de conseguir conquistar aquilo que deseja. A impossibilidade de errar e de se arrepender diante de uma escolha tão estimada, impede muitas vezes de arriscar e colocar seus planos e objetivos em prática, atribuindo vida ao que você quer.

Mas eu estou aqui hoje para te perguntar:

Será que existe o caminho exato, onde todas as expectativas serão atendidas? Será que existe um caminho em que todos os resultados serão os esperados? Um caminho sem frustrações, erros, incertezas e arrependimentos?

Lembre-se:

Entre o ideal, existe o que é possível. Escolha uma direção e acredite em você. Independente do resultado final, honre o seu percurso. Para acertar no futuro, às vezes é necessário se permitir a errar no presente.

Apostar naquilo que se deseja envolve coragem. Não há como saber o que vai encontrar no caminho, se não passar pela experiência. E antes ter tentado e falhado, do que não ter tentado, não é mesmo?

Viver envolve perder idealizações, cair e levantar e poder entender que a vida não é uma linha linear. Quais outras rotas podem ser traçadas quando você se frustra diante de uma expectativa? Você se pune, se julga ou se maltrata quando o resultado não foi como você esperou? Como é se acolher diante de uma frustração?

Investir no seu desejo envolve diversos arranjos emocionais, mas permanecer no mesmo lugar paralisado pelo medo de se frustrar traz sofrimento. Viver é estar em movimento e se conhecer é poder reaver a relação com a vida, construindo um caminho menos limitador e com mais tolerância consigo diante das tentativas.

Um caminho com menos muros e mais pontes que atravessem os obstáculos, em busca da ampliação de possibilidades.

Com carinho, psicóloga Caroline Maria Nunes.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Colunas Relacionadas

Posts relacionados

Skip to content