Tenha regras de nosso idioma na ponta da língua: alguns apontamentos para evitar erros linguísticos

Evite erros linguísticos na prova e tenha as regras de nosso idioma na ponta da língua. Confira nossos apontamentos!
Professora Luana Porto

Por:

Luana Porto

O domínio das regras de nosso idioma é importante não só para acertar questões em uma prova de concurso ou evitar descontos em redação. É mais do que isso: indica o quanto podemos compreender mais fácil e rapidamente o que o outro quer dizer, seja em texto escrito ou oralmente. Distinguir o uso de uma vírgula ou de um ponto de exclamação em uma frase, assim como empregar adequadamente verbos, pronomes, crase, é, certamente, cartão de visitas de todo usuário da língua portuguesa.

Os dois textos abaixo são uma provocação ou um chamado ao estudo para vocês, meus leitores, que querem saber mais sobre o nosso idioma.

As duas tirinhas mostram, respectivamente, o quanto o sentido de um texto pode ser alterado pelo emprego inadequado de pontuação e o quanto a ausência ou presença de crase diante de uma mesma palavra pode modificar a significação do que se quer dizer. Para dominar o idioma, é indispensável estudar gramática e saber que a norma de língua é exigida em contextos formais de comunicação. No entanto, em meios informais, é aceita uma flexibilidade nas regras.

Como o nosso foco aqui é mostrar como evitar erros linguísticos, na sequência vou apresentar alguns desvios muito comuns para que vocês possam identificar se estão os reproduzindo.

Termo ou expressãoErro comumExplicaçãoForma correta
ColocarUsar com sentido de referir ou mencionar ou comentar.
Exemplo:
O juiz colocou no parecer que a requerente não apresentou provas da queixa-crime.
Colocar significa pôr em algum lugar e deve ser usado para coisas materiais: colocou os tênis na gaveta; colocou os livros na estante.O juiz mencionou no parecer que a requerente não apresentou provas da queixa-crime.
Visar
Usar com sentido de objetivar sem estar acompanhado da preposição A.
Exemplo:
Ele visa um cargo político.
Visar, quando significa almejar algo, deve ser acompanhado de preposição A, o que implica análise do uso de crase.
Ele visa a um cargo político.
 
Ele visa à ascensão na vida política.
Implicar
Usar com sentido de acarretar acompanhado da preposição EM.
 
Exemplo:
O desvio de verbas implicou em condenação do político.
Implicar, quando significa acarretar algo, deve ser acompanhado sem preposição para completar o seu sentido.Exemplo:
O desvio de verbas implicou condenação do político.
Através de
Expressão usada como sinônimo de por meio de.
 
Exemplo:
Através da lei, ele conseguiu auxílio-doença.
Através de significa por dentro de, de um lado a outro, ao longo de e não pode ser usada como sinônimo de por meio de.
Exemplo:
Por meio da lei, ele conseguiu auxílio-doença.
 
Através de um tubo, os médicos introduziram a alimentação no para paciente em UTI.
RecémUsada com o sentido de pouco texto atrás.
 
Exemplo:
A recém ele foi para a reunião.
A recém não existe. O que existe é o advérbio recém, que pode ser empregado sozinho ou em palavras compostas, mas sempre sem a preposição A.Recém ele foi para a reunião.
 
Acabei de conhecer o bebê recém-nascido.
OndeUso de onde para fazer referência a qualquer termo que não seja lugar.
 
Exemplo:
Na festa onde ele estava havia muitas pessoas bêbadas.
 
No livro onde escrevi meus poemas, esqueci-me de inserir prefácio.
Onde só pode ser empregado para fazer alusão a lugar. Se o referente não for lugar, usar em que e suas variações (o qual, as quais etc)

Na festa na qual ele estava havia muitas pessoas bêbadas.
 
No livro em que escrevi meus poemas, esqueci-me de inserir prefácio.
Esquecer/lembrar (com e sem preposição)Uso desses dois verbos na forma pronominal (esquecer-se) sem a preposição DE.
 
Exemplo:
Ele não se lembrou a data do próprio casamento.
Quando esses verbos são empregados na forma pronominal, são transitivos indiretos e requerem a preposição DE.Ele se esqueceu de desligar o rádio da casa quando saiu.
 
Ele não se lembrou da data do próprio casamento.

Treino

Agora, vamos fazer um rápido treino? Essa é a sugestão para quem quer colocar em prática as dicas. Memorize-as e procure responder questões sobre esses termos.

Quanto mais resolução de perguntas, mais fácil será a aprendizagem. Ah, e se um ia vocês assistir a uma palestra minha, você não vão ouvir-me colocando nada, mas expressando ideias e comentando assuntos relevantes sobre nossa língua portuguesa.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Colunas Relacionadas

Posts relacionados

Pular para o conteúdo