FGV é a banca do concurso: o que estudar em língua portuguesa?

Estudando para concurso da FGV? Saiba o que estudar em língua portuguesa e aumente suas chances de aprovação.
Professora Luana Porto

Por:

Luana Porto

A prova de língua portuguesa, em concursos organizados pela Fundação Getúlio Vargas, costuma apresentar questões que envolvem tanto a habilidade de análise e compreensão de texto, como de aplicação de regras gramaticais e conhecimentos sobre semântica.

O que isso quer dizer? Que, para resolver adequadamente questões de interpretação de texto, você vai precisar dominar alguns temas, entre os quais:

  • Técnicas de interpretação de texto;

  • Tipologia textual (texto narrativo, descritivo, dissertativo/expositivo, argumentativo, injuntivo, prescritivo, preditivo);

  • Gênero Textual;

  • Inferência;

  • Estrutura de texto;

  • Compreensão da relação do título como conteúdo de cada texto;

  • Discurso direto e indireto.

Uma das particularidades da banca é apresentar questões em que frases são estruturadas por meio de silogismo. O silogismo surge da lógica de Aristóteles e é a estrutura básica de um argumento ou um raciocínio dedutivo. Caracteriza-se por ser formado por três proposições que estão interligadas, indicando, na última, uma conclusão. O silogismo é construído por meio de TRÊS preposições (premissa maior, premissa menor e conclusão).

Há duas preposições iniciais para se chegar a uma terceira, que no caso é a conclusão. Veja:

Exemplo:

Todo político é mentiroso. (premissa maior)

José é político. (premissa menor)

Logo, José é mentiroso. (conclusão)

Essa ordem da estrutura do silogismo, se subvertida, não gera conclusão ou apresenta conclusão inadequada.

Para você ter bom desempenho em questão que aborda silogismo na prova de língua portuguesa, domine a estrutura do silogismo e desenvolva raciocínio lógico.

Veja um exemplo de questão sobre o tema:

FGV – 2022 – SEFAZ-BA – Agente de Tributos Estaduais – Administração e Finanças

Observe o seguinte silogismo:

“Todos os cientistas são meio amalucados / Meu irmão é amalucado / Meu irmão é cientista.”

Evidentemente, a conclusão desse raciocínio é falsa; o problema desse silogismo é que

A) a primeira premissa é falsa.

B) a segunda premissa mostra ambiguidade; a segunda premissa mostra ambiguidade.

C) a conclusão não deriva das premissas.

D) o posicionamento dos termos está errado.

E) a segunda premissa está desconectada da primeira. 

Gabarito: D

Comentário: a terceira frase deveria ser a premissa menor, na ordem clássica.

Agora, observe um exemplo de questão que mobiliza conhecimento sobre tipologia textual, que se relaciona a objetivo principal do texto e à macroestrutura textual.

FGV – 2022 – SEJUSP-MG – Agente de Segurança Penitenciário

“A crise de criminalidade do Brasil é produto da impunidade. A impunidade, por sua vez, tem duas raízes. A primeira é a incapacidade do sistema de Justiça Criminal de impedir os crimes e identificar, prender e manter os criminosos depois que o crime foi cometido. A segunda raiz é uma legislação penal criada com base na ideologia do criminoso ‘vítima da sociedade’ e em algumas ideias absurdas, sem nenhum compromisso com a realidade”.

(Adaptado)

Esse texto deve ser classificado como

(A) descritivo cujo objeto é a situação criminal do país.

(B) narrativo a respeito da origem da crise de criminalidade.

(C) descritivo-narrativo com a mistura de passado e presente.

(D) expositivo, informando sobre nossa legislação penal.

 (E) argumentativo, apontando causas do problema.

Gabarito: E

Comentário: o texto se classifica como argumentativo por haver claramente o ponto de vista do autor acerca da criminalidade no Brasil, o que é exposto já na primeira frase do texto.

Em relação à análise linguística e semântica, os candidatos a concurso em provas elaboradas pela FGV devem estar preparados para responder a questões sobre:

  • Morfologia;

  • Sinônimos e Antônimos;

  • Classes Gramaticais;

  • Polissemia;

  • Ambiguidade;

  • Adjuntos;

  • Reescrita de frases.

Uma das particularidades da banca é apresentar questões em que um termo pode estar empregado em classe diferente das demais expressões destacadas em cada alternativa. Sobre morfologia, precisamos estar atentos ao uso de sufixos, sobretudo os diminutivos, que podem ter, dependendo do contexto, valor afetivo ou pejorativo. Resolva a questão a seguir para identificar como a FGV tem abordado esse tema:

FGV – 2022 – MPE-GO – Analista Contábil

“Volta Redonda não parece Brasil; é, na verdade, uma ilha de trabalho e organização cercada de Brasil por todos os lados. E seu drama reside nisso mesmo, na necessidade incessante de se defender do Brasil e de suas loucuras, de sobreviver e de crescer para servir o Brasil sem se contaminar demasiado dele. No lugar dessas tristes ruazinhas de nossas cidades do interior, com sua poeira e suas casas de platibandas estilo comercial-futurista, seu mau gosto árido e obcecante, aqui há ruas cheias de árvores floridas, e as casas ficam atrás de gramados e jardins. Aqui houve quem pensasse antes de fazer, houve quem sonhasse e riscasse num papel seu sonho. Aqui se pensou um pouco no homem e na sua família, na casa e no clube, na escola e no esporte.”.

(A ilha, 22/02/1953)

“No lugar dessas tristes ruazinhas de nossas cidades do interior, com sua poeira e suas casas de platibandas estilo comercial futurista, seu mau gosto árido e obcecante…”. Nesse segmento o diminutivo “ruazinhas” mostra valor pejorativo, da mesma forma que na seguinte opção:

(A) As ruazinhas nos subúrbios cariocas, mal iluminadas e sem asfaltamento, mostram traços poéticos.

(B) Nas ruazinhas do bairro em que nasci havia sempre muitos vendedores ambulantes.

(C) As ruazinhas que iam da cidade para o alto das serras estavam em mau estado e causavam danos aos veículos.

(D) As ruazinhas no interior da fazenda levavam da Casa Grande a todas as plantações.

(E) Todas as ruazinhas do local eram pequenos caminhos entre filas de árvores frutíferas.

Gabarito: C

Comentário: Mau estado e propensão a causar danos atestam traço negativo das ruas do interior da fazenda. Por isso, o tom pejorativo.

Ao saber os principais conteúdos cobrados pela FGV, você já pode começar a estudá-los, assistir a aulas sobre eles e, ainda, resolver questões. O treino de resolução para prova da FGV é essencial, pro ser uma banca bastante exigente e com questões que podem demandar mais tempo para análise dada complexidade do que a FGV pode apresentar.

Por fim, não tenha medo da prova. Estude, treine a resolução de questões porque você pode dominar a prova de língua portuguesa dessa banca. Acredite nisso!

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Colunas Relacionadas

Posts relacionados

Pular para o conteúdo