Casos especiais de concordância merecem atenção

Regras simples para evitar erros de concordância na hora da prova.

Por:

Luana Porto

Nos estudos gramaticais da língua portuguesa, a parte dedicada à concordância traz regras simples, fáceis de assimilar porque são aplicadas no dia a dia de forma constante. Frases como “Eu estou aqui”, “nós concluímos a tarefa” e “As casas decoradas estão à venda” não costumam trazer dúvida quanto à combinação entre palavras.

Mas nem todas as construções frasais são assim, pois há aquelas que possibilitam mais de uma forma de concordância, aquelas que fogem um pouco do que estamos acostumados a usar quando falamos em situações informais, aquelas que usam palavras com formação peculiares, por exemplo.

É sobre casos especiais de concordância que vamos discutir aqui, afinal, como são mais complexos, também são mais recorrentes em provas de concurso. A seguir destacamos algumas regras que merecem sua atenção para não ficar em dúvida quando o enfoque estiver na sua prova de concurso.

1) UM E OUTRO, NEM UM NEM OUTRO

As expressões um e outro e nem um e nem outro exigem que o substantivo fique no singular, mas o adjetivo deve ir para o plural:

Contemplamos um e outro problema graves

Não optamos por nem um nem outro candidato experientes.

2) SUBSTANTIVO ANTEPOSTO A ADJETIVOS

Se um substantivo estiver anteposto a vários adjetivos, há duas possibilidades de concordância:

a) O substantivo pode ficar no plural

Aprecio as obras peruanas e mexicanas.

b) O substantivo pode ficar no singular

Aprecio a obra peruana e mexicana

3) PSEUDO, ALERTA, MONSTRO, MENOS

As palavras pseudo, alerta, monstro e menos  são invariáveis.

João é um pseudoartista.

Para não contrair um vírus gripal, é fundamental estar sempre alerta.

Há cenas monstro naquele documentário, o que me aterrorizou.

Os jogadores europeus ganharam menos jogos que os argentinos.

4) PALAVRAS QUE INDICAM CORES

A regra geral indica que as expressões que indicam cores devem concordar com o substantivo a que se referem, quando são variáveis:
A bolsa é amarela.
Os olhos de Márcio são azuis.

Porém, se nome da cor fizer referência a um substantivo (laranja, rosa etc.), a cor é invariável.
As bolsas são laranja.
Os lápis são rosa.

Se a indicação de cor for constituído de dois adjetivos (o segundo envolvendo tonalidades),  o primeiro fica invariável no gênero masculino e o segundo faz a concordância:

A tonalidade da parede é verde-clara.
Os casacos de Ana são amarelo-escuros.

Agora, se o segundo adjetivo fizer referência a um substantivo, o nome da cor fica invariável.

As peças de decoração são verde-água.

Aquela roupa é vermelho-sangue.

ATENÇÃO: Estas palavras que indicam cores são sempre invariáveis: azul-marinho, azul-celeste, furta-cor, ultravioleta, verde-musgo, cor-de-rosa.

5) ADJETIVOS COMPOSTOS

Na utilização de um adjetivo composto, somente o último elemento sofrerá flexão, tanto de gênero quanto de número:

As comunidades franco-brasileiras estão em festa.

As lendas greco-romanas ainda fazem parte do imaginário cultural de vários países.

Escolas nipo-brasileiras existem?

6) É PRECISO, É NECESSÁRIO, É BOM, É PROIBIDO E EXPRESSÕES EQUIVALENTES

Se a expressão estiver acompanhada de determinando, fica no singular e no masculino; se estiver com determinante, concordam com o elemento determinate em gênero e número.

É bom sopa no inverno.

É boa a sopa no inverno.

É necessário regras de comportamento.

São necessárias as regras de comportamento.

Estude essas regras com afinco, porque elas podem ser usadas em questão de sua próxima prova de concurso. Se gostou desse material, compartilhe.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

4 respostas

  1. NA PONTA DA LÍNGUA
    Casos especiais de concordância merecem atenção
    Se tem que ser no ato “na ponta da língua”, a cima já deixei minha contribuição
    como necessária para sistematizar o raciocínio lógico contemporâneo.

  2. Muito bom o conteúdo apresentado eu quero estudar mais pra próxima prova do tribunal de justiça

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Colunas Relacionadas

Posts relacionados

Pular para o conteúdo