Estratégias eficazes de estudos para a 1ª Fase da OAB

Dicas para otimizar seus estudos visando a 1ª fase da OAB.
Camila Lopes - Mentorias

Por:

Camila Martins

Preparar-se para a OAB é um desafio que requer dedicação e disciplina. A prova, conhecida pelo seu nível de exigência, demanda dos examinandos o conhecimento de 20 disciplinas, além da necessidade de uma boa gestão do tempo e das emoções.  

Considerando que a maioria dos OABeiros concilia sua preparação com a finalização da graduação, TCC, estágio, trabalhos e afins, ter um estudo estratégico passa a ser não apenas uma recomendação, mas uma necessidade. No presente texto trarei 4 estratégias para que você chegue, com maior tranquilidade, nos 40 acertos com sobra!  

1) Grupos de estudo 

Como dito anteriormente, a prova de 1ª fase traz o conteúdo de 20 disciplinas distribuídas em suas 80 questões. Não há diferença de peso entre as disciplinas, isto é, o examinando pode zerar uma disciplina e ainda ser aprovado, desde que alcance os 40 acertos.  

A diferença reside na quantidade de questões por disciplina. Essa diferença permite a utilização da estratégia na ordem de estudo. Nesse sentido, o Ceisc utiliza e recomenda a seguinte ordem: 

Primeiramente, são indicadas as disciplinas do Grupo A, que são aquelas com mais questões na prova e com conteúdo programático menor.  

Após, são indicadas as disciplinas do Grupo B, que são aquelas com quantidade média de questões. 

E para finalizar, são indicadas as disciplinas do Grupo C, que são aquelas com menor quantidade de questões e que possuem conteúdo programático menor.  

Com relação ao Grupo C, cabe ressaltar que as disciplinas desse grupo possuem um conteúdo programático reduzido e juntas fazem a diferença na aprovação, já que representam 12 questões da prova. Ignorá-las significa desperdiçar uma forma rápida de aquisição de pontuação, tendo em vista o baixo investimento de tempo para alcançar um alto desempenho nelas.  

Sendo assim, com um bom desempenho no grupo A, o aluno já fica próximo de atingir os 40 acertos na prova. E com o estudo direcionado dos grupos B e C, é possível adquirir a pontuação sobressalente sem ficar com medo de trocas no gabarito ou precisando de anulações para ser aprovado. 

2) Critério de recorrência dos conteúdos 

Ainda que o examinando siga a estratégia para as disciplinas da prova, é fundamental ter um filtro confiável dos assuntos a serem estudados. Veja só, a disciplina de Direito Civil, por exemplo, costuma ter dez cadeiras ao longo da graduação. Nem todos esses assuntos são importantes no âmbito da OAB. 

Nesse ponto entra a estratégia de recorrência, para que você não perca tempo estudando conteúdos que sequer serão cobrados na prova.  

Nossa equipe mapeou todas as provas da OAB já realizadas e com base nessa análise obtivemos os dados indicativos sobre a probabilidade de cobrança dos assuntos. O Ceisc utiliza as seguintes definições para os assuntos: 

Imprescindível: assunto que foi cobrado diversas vezes e que tem alta probabilidade de aparecer no próximo exame. 

Muito relevante: assunto que foi cobrado uma quantidade média de vezes e que tem razoável probabilidade de aparecer no próximo exame. 

Relevante: assunto que foi cobrado poucas vezes e que tem baixa probabilidade de aparecer no próximo exame.  

Nossos cronogramas mais extensos indicam os assuntos de todas as estrelas, já os cronogramas mais concisos, focam nos assuntos imprescindíveis para a sua prova.  

Por isso falamos: não adianta estudar sem estratégia. Você precisa de uma organização que te faça ganhar tempo de estudo e não o contrário.  

3) Estudo ativo 

Adotar uma postura ativa nos estudos faz toda a diferença na fixação do conteúdo. Por isso, ao invés de receber as informações de forma passiva, indicamos que você faça parte ativamente de todas as etapas do estudo. 

Portanto, ao seguir o Método Turbo, que é o passo a passo de estudos indicados pelo Ceisc, o aluno torna-se o protagonista da sua preparação. 

– Leitura: o aluno lê o material de forma dinâmica, marcando as partes que determinar mais relevantes e anotando as dúvidas. 

– Videoaula: o aluno acompanha a aula tendo ao lado um espaço para anotações. Nesse espaço recomendamos a realização de anotações pontuais, em palavras-chave. O aluno deve ser capaz de identificar quais são as informações mais relevantes da aula. 

– Questões: exercita a sua base teórica aplicando-a na resolução de questões de provas anteriores. Aprende com os seus erros. 

– Revisão: utiliza as marcações dos materiais, as anotações das aulas e resolve questões extras, como forma de manter ativo os conteúdos já estudados.  

4) Questões e cronometragem   

A forma mais adequada para ter dados dos seus estudos é através da resolução de questões. Além disso, permite que o aluno conheça o formato de exigência da banca e ainda, faça o treino da gestão de tempo da prova.  

Como o examinando tem 5h para resolver as 80 questões, é necessário estar atento à organização de tempo para resolução da prova. Indica-se para isso, a utilização da ferramenta de cronometragem, tanto para o treino individual com questões, quando para a resolução de simulados inteiros.  

Essa estratégia também permite a investigação da sua gestão das emoções, já que a concentração com o tempo contado, pode interferir na resolução. O treino permitirá acostumar-se com esse fator.  

Apresentadas as 4 estratégias, inicia a sua parte do processo: colocá-las em ação!  

Abração, 
Camila Martins 

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

7 respostas

    1. Olá, Edith! Entre em contato conosco por um de nossos canais de comunicação para que possamos lhe enviar maiores informações sobre os cursos 💙

    1. Olá, Edith! Entre em contato conosco por um de nossos canais de comunicação para que possamos lhe enviar maiores informações sobre os cursos 💙

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Colunas Relacionadas

Posts relacionados

Pular para o conteúdo