OAB 1° e 2° fase

Um ano de guerra na Ucrânia

Um ano de guerra na Ucrânia: um olhar sobre o conflito e suas consequências. Saiba mais no blog do Ceisc.

Última atualização em 20/02/2024
Compartilhar:

No dia 24 de fevereiro, a guerra entre Ucrânia e Rússia completará um ano, no leste europeu. O conflito começou depois que os exércitos russo e bielorusso realizaram exercícios militares em Belarus, país governado pelo aliado de Putin, Alexander Lukashenko. Encerrados os treinamentos, as tropas russas avançaram sobre o território ucraniano por três frentes: uma vinda do Norte chegou até os subúrbios da capital Kiev, outra oriunda do Leste ocupou as regiões de Donetsk, Lugansk e Karkiv e, por fim, outra frente russa veio do Sul em direção às cidades portuárias de Mariupol, Kherson e Odessa. Nesta primeira fase da guerra, o avanço russo implicou na ocupação de boa parte do leste da Ucrânia e na fuga de milhares de cidadãos ucranianos para os países vizinhos.

Qual a origem do conflito?

As justificativas apontadas pelo presidente russo à época foram assegurar a proteção das populações russas que vivem na região do Donbass (Donetsk e Luhansk), desnazificar a Ucrânia e impedir que o país viesse a fazer parte da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte), considerada rival da Rússia.

Ainda que governos como dos Estados Unidos e da Alemanha tenham prometido proteção e apoio para a Ucrânia, neste um ano de guerra nenhum país se envolveu de forma direta no conflito por temor a uma escalada da violência. Os presidentes Joe Biden e Olaf Scholz se limitaram a enviar armamentos e munições modernas para  Volodymyr Zelenski, presidente da Ucrânia. Graças a este apoio material e logístico e ao desgaste das forças invasoras, no segundo semestre de 2022 as tropas ucranianas conseguiram retomar vários territórios ocupados pelos russos, o que marcou uma segunda fase do conflito.

Embora concentrada na Ucrânia, a contenda gerou repercussões globais neste um ano de duração. Surgiu uma nova crise de refugiados. Milhares de ucranianos fugiram para a Polônia, Alemanha e demais países do leste europeu. A Rússia sofreu sanções econômicas por parte de entidades financeiras e países ocidentais e também banida de eventos esportivos, como a Copa do Mundo de Futebol do Qatar. O mundo inteiro também foi impactado pela elevação da inflação global devido ao aumento dos preços dos combustíveis, do gás e dos fertilizantes. 

Em praticamente todos os eventos de ordem internacional a guerra na Ucrânia esteve presente. Em 2022, por exemplo, o governo russo não foi convidado para o funeral da rainha Elizabeth II, do Reino Unido. Em janeiro de 2023, o governo de Moscou não foi convidado para as celebrações do 78º aniversário da libertação, pelo Exército Soviético, do campo de concentração nazista de Auschwitz-Birkenau.

Perspectiva de paz na região ainda é remota

Infelizmente, para a população civil residente nos locais de conflito a paz ainda está longe. Reagindo aos envios de modernos blindados por parte de Reino Unido, Estados Unidos e Alemanha, o governo russo anunciou uma grande ofensiva para os dias em que o conflito completar um ano de duração. Qual será o desfecho deste conflito não temos como saber, mas nós certamente estaremos aqui para trazer as informações mais importantes para você que está se preparando para os concursos públicos.

00

Fale com a gente

Converse com a equipe de Vendas Ceisc pelo Whatsapp ou então tire suas dúvidas com o Atendimento Ceisc pelo e-mail para atendimento@ceisc.com.br