Concursos

MGI diz que CNU é ‘essencial para reconstrução do estado brasileiro’

De acordo com o Governo Federal, CNU deve suprir alto déficit de servidores nos órgãos públicos federais, e que outros concursos estão em vista.

Última atualização em 20/02/2024
Compartilhar:

O Governo Federal, por meio do Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI), lançou na última quarta-feira (10), um conjunto de oito editais do Concurso Nacional Unificado (CNU). Esses oito editais representam os diferentes blocos temáticos contemplados nesse processo de seleção em modelo que amplia a possibilidade de escolha da vaga, respeitando a vocação e o perfil profissional de cada candidato.

Isso ocorre porque o CNU permitirá a inscrição para mais de um cargo, desde que no mesmo eixo temático. A prova será realizada no dia 5 de maio e contará com avaliações objetivas específicas e dissertativas, por área de atuação.

Segundo o Governo Federal, o CNU representa um passo essencial para o processo de reconstrução do Estado brasileiro, ao promover a recuperação das capacidades das organizações governamentais afetadas pelas políticas de redução do papel do Estado e de desmantelamento institucional praticadas pelos últimos governos. Nos últimos seis anos, o governo federal perdeu 73 mil servidores.

Para isso, o já intitulado “Enem dos concursos” vai selecionar, de uma só vez, 6.640 servidores para 21 órgãos públicos federais (órgãos e entidades da Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional). As inscrições estarão abertas entre 19 de janeiro e 9 de fevereiro.

A prova será aplicada em 220 cidades, localizadas em todas as Unidades da Federação, com questões objetivas específicas e dissertativas por área de atuação. O MGI estima que o certame receba de 2 milhões a 3 milhões de inscritos.

A divulgação dos resultados das provas objetivas e preliminares das provas discursivas e redações será no dia 3 de junho. Os resultados finais serão anunciados em 30 de julho. Em 5 de agosto terá início a etapa de convocação para posse e realização de cursos de formação.

Confira o EDITAL na íntegra abaixo

CNU tem como objetivo a recomposição de servidores

Ao longo de 2023, o governo autorizou uma primeira rodada de concursos, em esforço inicial para a recomposição das necessidades de alguns órgãos públicos federais em termos de pessoal, para fazer frente às aposentadorias ocorridas na última década.

O CNU vai aprofundar esse processo, indo além da contratação de novos profissionais, e também permitindo que seja construído um serviço público com a cara do Brasil. O MGI já autorizou concursos para mais de 8 mil vagas, visando reforçar principalmente as áreas finalísticas de atuação do governo.

A retomada dos concursos públicos é uma das partes mais importantes da estratégia de Transformação do Estado do Governo Lula. A recomposição da força de trabalho do setor público é fundamental para a entrega dos serviços públicos pelas quais o governo federal é responsável.

O pagamento de benefícios da seguridade social, a fiscalização trabalhista, o licenciamento ambiental, as políticas educacionais, a proteção dos povos indígenas, dentre outras, são exemplos de áreas em que o estrago derivado da quase uma década de suspensão de reposição de servidores públicos causou na administração pública federal.

O processo de reconstrução do Estado brasileiro já contou com medidas como a Emenda Constitucional nº 126, de 21 dezembro de 2022, que permitiu aprovar o aumento do salário mínimo, o reforço do Bolsa Família e a recomposição dos salários dos servidores públicos; e a Lei nº 14.600, de 19 de junho de 2023, que recriou e criou ministérios, permitindo ao governo fortalecer o Estado e reerguer as políticas públicas.

Vagas estão divididas em oito blocos temáticos

Com a oferta de 6,4 mil vagas imediatas, as oportunidades para o Concurso Nacional Unificado estão divididas em oito blocos temáticos onde estão distribuídas da seguinte forma:

CONHEÇA AQUI OS BLOCOS TEMÁTICOS DO CNU

CNU terá reserva de vagas para negros, indígenas e deficientes

Na coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira (10), a Ministra da Gestão, Esther Dweck, confirmou que haverá reserva de vagas para pessoas com deficiência, negros e indígenas, esse último exclusivamente para as vagas da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (FUNAI). A porcentagem da reserva de vagas fica distribuída da seguinte forma:

  • 5% para pessoas com deficiência
  • 20% para pessoas negras
  • 30% da FUNAI para indígenas

Inscrições a partir de 19 de janeiro até 9 de fevereiro

Outra informação importante, aponta para os valores de inscrição para o CNU. Segundo o MGI, o valor da taxa de inscrição será de R$ 60,00 para vagas de nível médio e de R$ 90,00 para cargos de nível superior. Vale ressaltar que estão isentos desse pagamento os candidatos que integram o Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) aqueles que cursam ou cursaram faculdade pelo Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies) ou pelo Programa Universidade para Todos (ProUni); assim como aqueles que realizaram transplante de medula óssea.

O período de inscrições inicia no próximo dia 19 de janeiro até 9 de fevereiro. Para se registrar no CNU o candidato deverá acessar sua conta na plataforma Gov.br (serão aceitos todos os níveis – ouro, prata ou bronze). Em seguida, é necessário preencher os formulários e anexar os documentos exigidos no edital.No ato da inscrição, o candidato fará a escolha pela vaga pretendida, que estarão divididas em oito blocos temáticos.

Fundação Cesgranrio será a banca do concurso unificado

Após dias de expectativa, a manhã do último dia 24 de novembro, foi de confirmação importante para quem já mira o Concurso Nacional Unificado. Tudo porque o Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI), anunciou em seu portal oficial a escolha pela a Fundação Cesgranrio como banca responsável pelo CNU!

De acordo com o MGI, a opção foi definida ainda no início da semana, mas por conta de trâmites jurídicos houve uma espera para realização do anúncio oficial. O contrato entre as partes foi assinado recentemente e assim publicado na edição do Diário Oficial da União.

Cronograma para o Concurso Nacional Unificado:

Publicação do Edital: 10/1/2024

Inscrições: 19/01 a 09/02/2024

Divulgação dos dados finais de inscrições: 29/02/2024

Divulgação dos Cartões de Confirmação: 29/04/2024

Aplicação das Provas: 05/05/2024

Divulgação dos resultados das provas objetivas e preliminares das provas discursivas e redação: 03/06/2024

Divulgação Final dos Resultados: 30/07/2024

Início da Convocação para posse e Cursos de Formação: 05/08/2024

Foco na sua nomeação em 2024!

O edital para o Concurso Nacional Unificado chegou, e sabia que você começar hoje a sua preparação para aquele que será o ‘Enem’ dos concursos? Conheça o nosso preparatório completo para o Concurso Nacional Unificado e vamos juntos buscar a sua nomeação!

00

Fale com a gente

Converse com a equipe de Vendas Ceisc pelo Whatsapp ou então tire suas dúvidas com o Atendimento Ceisc pelo e-mail para atendimento@ceisc.com.br